Leites A, B e C: conheça suas diferenças!

Sonia Outubo 26 de março de 2013 Nutrição 0     Imprimir Imprimir

Leite A B C

Qual é a diferença entre os leites A, B e C? Essa classificação tão comum muitas vezes passa despercebida, mas pode mudar nossa escolha de consumo. Ela refere-se, principalmente, à qualidade microbiológica do leite, ou seja, à sua quantidade de bactérias. Não tem nada a ver com leite integral, desnatado ou semidesnatado!

Quais fatores contam?

A legislação federal estabelece contagens máximas de bactérias para os leites A, B e C, principalmente após o processo de pasteurização. Existem também leis para os métodos de higiene na ordenha, transporte e armazenamento do leite antes do processo, além do local de pasteurização.

Você sabe o que é a pasteurização do leite? É um processo a temperaturas por volta de 72ºC a 76ºC, com duração de 15 a 20 segundos, seguido de rápido resfriamento. Essa técnica inativa as fosfatases, reduz o número total de bactérias e ainda elimina as bactérias patogênicas, como as salmonelas, o bacilo tuberculoso, as brucelas e os estreptococos.

Agora, vamos conhecer cada um dos tipos de leite?

• Leite A: obrigatória a ordenha mecânica. Deve ser armazenado a frio e pasteurizado na própria fazenda. O contato humano é mínimo. Regras rígidas de higiene, segurança sanitária das dependências, transporte e armazenamento. Em relação aos microrganismos, pode conter no máximo 10.000 UFC/ml (Unidades Formadoras de Colônias por mililitro) antes da pasteurização e até 500 UFC/ml após a refrigeração.

• Leite B: a ordenha é mecânica e o leite é armazenado e transportado a frio, mas pasteurizado fora da fazenda.Pode conter até 500.000 UFC/ml antes da pasteurização e no máximo 40.000 UFC/ml após a refrigeração.

• Leite C: provém, muitas vezes, de produtores não especializados. A ordenha não precisa ser mecânica e não são exigidos armazenamento e transporte a frio. Em geral é transportado em temperatura ambiente da fazenda até o local de pasteurização. Por isso, apresenta maior contagem de bactérias.Antes da pasteurização, não há limites de UFC. Após a refrigeração, máximo de 150.000 UFC/ml e 0,2 ml de coliformes totais.

O teor de gordura também varia

Um último fator contabilizado na definição de cada tipo de leite é o teor de gordura.Segundo a legislação brasileira, os leites A e B devem ser vendidos com o teor integral de gordura. Já o leite C pode ser padronizado, ou seja, parte de sua gordura pode ser retirada, mas é obrigatório um mínimo de 3% de gordura.

Desnatado, semi desnatado ou integral?

Qualquer um dos tipos de leite (A, B e C) podem ser desnatados ou semidesnatados. Eles passam por um processo de centrifugação que retira parte ou toda a gordura.

O leite semidesnatado deve ter teor de gordura entre 0,6% e 2,9%, enquanto o leite desnatado permite um máximo de 0,5% de teor de gordura. Já o integral mantém toda a gordura natural do leite.Apenas o leite tipo C pode ter seu teor de gordura reduzido para um mínimo de 3% (a chamada padronização), sem ser considerado desnatado ou semidesnatado.


Participe do Programa Emagrece, Pinda!

Compartilhe com seus amigos e vamos emagrecer juntos!

Quem escreveu

Sonia Outubo

Técnica em nutrição, professora de culinária desde 1999. Experiência em culinária saudável, diet/light e aproveitamento integral dos alimentos alternativas para melhorar a qualidade de vida através da nutrição.

Deixe seu Comentário